Índice de Confiança do Empresário - 2º Trimestre de 2018


Índice de Confiança do Empresário - 2º Trimestre de 2018

O QUE É IC-PMN?

É o índice que mede a confiança dos empresários de pequenos e médios negócios e reflete suas perspectivas em relação ao futuro da economia, do seu setor e do seu próprio negócio. As expectativas desses agentes econômicos podem afetar variáveis-chave para o desenvolvimento do país, tais como investimento e geração de novos postos de trabalho. Por essa razão, conhecê-las é de fundamental importância. Para isso, você conta com o Índice de Confiança do Empresário de Pequenos e Médios Negócios no Brasil (IC-PMN).

Índice de Confiança do Empresário - 2º Trimestre de 2018
                          
  

O ÍNDICE DE CONFIANÇA DO PEQUENO E MÉDIO EMPRESÁRIO AUMENTOU 5,93% NO SEGUBDO TRIMESTRE DE 2018 EM RELAÇÃO AO TRIMESTRE ANTERIOR.

Índice de Confiança do Empresário - 2º Trimestre de 2018




Índice de Confiança do Empresário - 2º Trimestre de 2018

         

O IC-PMN registrou alta de 5,93% no primeiro trimestre com relação ao trimestre imediatamente anterior, após um trimestre em queda, registrando o maior valor desde 2013.
Na análise por regiões, foram registradas altas em todas as regiões, com destaques para a Nordeste (9,10%) e Norte (10,48%). Na abertura por atividade econômica, os três setores registraram crescimento: Indústria (10,34%), Serviços (5,96%) e Comércio (4,42%).
Ao analisar o índice por questão, verificam-se variações positivas para todos os quesitos: Empregados (6,9%), Economia (6,6%), Investimento (6,3%), Ramo (5,7%), Faturamento (5,6%) e Lucro (4,68%).

Os sinais de retomada da atividade econômica fortaleceram a confiança dos pequenos e médios empresários brasileiros para o segundo trimestre de 2018. É o que mostra o resultado do Índice de Confiança do Pequeno e Médio Empresário (IC-PMN), ao atingir 70,65 pontos, uma alta de 5,9%, na comparação com o trimestre anterior. O indicador, elaborado pelo Centro de Estudos em Negócios do Insper com apoio do Santander, mede a confiança dos empresários das PMEs para o trimestre.
“O resultado foi claramente muito positivo, com forte crescimento tanto por setores, por regiões, e em todos os quesitos da pesquisa. Isso sinaliza de maneira inequívoca que o pequeno e médio empresário começou a perceber com maior nitidez a retomada da atividade, e por isso ficou mais confiante”, afirmou Gino Olivares, professor e pesquisador responsável pelo IC-PMN.
“Os últimos resultados do IC-PMN confirmaram a expectativa de uma percepção mais generalizada dos empresários brasileiros a respeito da recuperação da atividade econômica, que vem sendo sustentada por fatores como: níveis historicamente baixos de inflação e taxa de juros, que contribuem para a recomposição dos canais de crédito; aumento da massa de salários, que reflete certo alívio no mercado de trabalho e acaba impulsionando a demanda doméstica; e condições ainda favoráveis no mercado internacional, caracterizadas por alta liquidez e sólido crescimento dos nossos principais parceiros comerciais, o que ajuda a manter as contas externas do Brasil equilibradas.

Em termos gerais, as empresas brasileiras parecem aprovar a condução da atual política econômica, focada em baixa intervenção do governo nos mercados, controle da inflação e equilíbrio das contas fiscais”, afirmou Rodolfo Margato, economista do Banco Santander.

Índice de Confiança do Empresário - 2º Trimestre de 2018