Parceria ou investimento greenfield: qual é melhor para internacionalizar?

Greenfield é tendência entre os investidores, mas as opiniões se dividem quando o assunto é empreender no exterior.

25-10-2018

parceria ou investimento greenfield

Segundo a
Pesquisa sobre Internacionalização de Empresas no âmbito de Plano Nacional de Exportação,da Apex-Brasil, feita em 2016, 64% das participantes do estudo têm presença em outro país. Isso se dá, por exemplo, por escritório comercial próprio (40,2%), franqueados (8,3%) e licenciamento de marca (6,1%). Mas há outras formas de se internacionalizar para ampliar o negócio, como por meio de uma parceria ou um investimento greenfield.

Quer saber a diferença entre ambos para escolher o mais adequado ao seu negócio? Continue lendo!

O que é um investimento greenfield?

Investimento greenfield ('campo verde') corresponde a uma operação estabelecida desde o começo, ou seja, 'do zero'. É quando uma organização tem a iniciativa de se internacionalizar ou ampliar sua presença no mercado exterior por meio da construção de uma instalação própria em outro país. Ela pode ser acompanhada de:

  • escritório administrativo;

  • centro de distribuição;

  • alojamento para a equipe de trabalho;

  • outra obra de engenharia.

Quais são os benefícios desses investimentos?

Investimento greenfield

Maior autonomia

Um investimento greenfield tem maior liberdade de gestão, uma vez que quem investe constrói uma subsidiária desde o princípio, conforme sua vontade. Portanto, ela é montada seguindo um padrão predefinido. Também conta com um processo de operação e de gestão planejado e executado da maneira que a sede deseja.

Isso pode não ocorrer, por exemplo, quando se adquire uma companhia montada, como no investimento brownfield (campo marrom). Nesse caso, já há uma equipe contratada, uma cultura formada e um parque tecnológico pronto, que nem sempre é passível de adaptação de acordo com o que o comprador deseja.

Diminuir custo intermediário

Ao construir uma filial ou empresa nova, dá para evitar o custo intermediário com distribuidor ou representante comercial. Isso traz competitividade ao negócio, que pode praticar um preço menor.

Impactar positivamente a economia local

Ao aplicar em uma instalação nova, a economia local é beneficiada. Isso porque haverá investimento em infraestrutura, contratação de equipe e compra de material de construção.

Parceria no exterior

Menos riscos

Ao formar uma parceria, geralmente a empresa corre menos risco do que no investimento greenfield. Afinal, haverá outra parte trabalhando em conjunto para que o acordo dos dois dê certo e ambos obtenham êxito.

Apoio desde o começo

Um grande desafio do empreendedor no exterior é o começo, momento em que se tem pouca experiência no mercado internacional desejado. Além disso, é preciso conhecer a legislação e a cultura local. Isso ajuda a não infringir nenhuma norma e evitar que o produto sofra rejeição por parte do cliente. Nesse caso, um parceiro pode saber exatamente o que fazer para superar esse tipo de dificuldade.

Qual é a melhor opção na hora de internacionalizar?

O investimento greenfield é uma forma direta de entrada na economia de um país, por meio de uma subsidiária. Ele é adequado para quem pretende expandir seu negócio sem abrir mão do controle e do padrão de trabalho desenvolvido na empresa, bem como de sua cultura organizacional. Dessa forma, é possível montar uma filial que funcione de modo muito semelhante à sede.

Por outro lado, realizar uma parceria no exterior é vantajoso para quem não quer assumir um risco muito grande e deseja adquirir experiência internacional. Também é preciso avaliar se essa relação não gera impacto considerável no preço do produto. Caso não, então pode ser melhor manter a parceria do que investir uma grande quantia para construir uma empresa “do zero”.

Todavia, se a parceria afetar bastante o valor da mercadoria (por causo do custo de intermediação), pode ser viável montar sua própria empresa e recuperar o investimento ao longo do tempo, enquanto mantém um preço competitivo e ganha mercado.

É importante avaliar a parceria ou investimento greenfield com base no plano de expansão da empresa e em sua estratégia de internacionalização. Também é necessário analisar o custo que se deseja assumir com esse processo, para optar pela opção mais vantajosa. Na dúvida, a dica é buscar uma consultoria que atue com mercado exterior para apoiar essa escolha.

O que você achou desta matéria?

O QUE A GENTE PODE FAZER PELA SUA EMPRESA, HOJE?

Para tornar nossos conteúdos cada vez mais atrativos, responda nossa pesquisa e nos conte quais temas são mais relevantes para o seu desenvolvimento

RESPONDER

JÁ RECEBE A NOSSA NEWSLETTER?

Para receber gratuitamente as notícias que interessam a quem tem negócios, insira um endereço de e-mail:

CADASTRAR