CAPEX, OPEX e TCO: como inserir na minha empresa?

Por: Fernando Angelieri

Saiba como esta sopa de letras pode manter sua empresa operacional até 2018.

21-08-2015
home-office-noticias

Neste artigo, vamos falar sobre despesas de capital (CAPEX), despesas operacionais (OPEX) e o custo total da propriedade (tradução literal do TCO).

 
Nas empresas menores, estes são temas que são pouco abordados, seja pelo plano contábil que não é tão beneficiado, seja porque o proprietário acaba tomando as decisões baseado em sua experiência. 
Com o cenário pouco promissor para os próximos dois anos, qualquer economia gerada poderá significar muito para sua empresa seguir no positivo até 2017/2018.

Não irei abordar a questão contábil nem fiscal aqui e sim trazer um pouco de luz nas tomadas de decisões de sua companhia.


Vamos fazer um exemplo prático:

Imagine que você tenha uma empresa de eventos e em muitos locais não há energia elétrica com a disponibilidade necessária, causando a necessidade de ter um gerador para diferenciar-se do mercado. Se você comprar este gerador, mesmo que parcelado ou financiado, ele será um CAPEX. Este gerador irá consumir mão de obra para operá-lo, lubrificantes, peças de manutenção, combustível e transporte do equipamento até o local. Isto é o TCO, ou seja, o valor que custa para se ter este equipamento funcionando.

Já o OPEX seria a opção de você alugar o equipamento. É aqui que os números não fecham e a opção do CAPEX se torna mais atrativa pelos números financeiros brutos, mas quero convencê-lo que, no momento atual, o OPEX é a melhor solução. Veja meus pontos:

CAPEX

1. Não é possível alocar o gerador correto ao tamanho do evento e quando exceder a capacidade do gerador, o evento não poderá ser realizado.

2. É necessário ter peças de reposição sempre à mão.

3. Um técnico especializado deve estar presente.

4. Imagino que você não é um especialista em geradores, portanto sua análise de custos operacionais pode conter falhas.

5. Se sua clientela diminuir, você ficará com o gerador parado.

OPEX

1. Você aloca o tamanho do gerador de acordo com o tamanho e data do evento.

2. Não é necessário se preocupar com a operação, apenas com o resultado.

3. Mesmo sendo um valor muito mais alto que suas parcelas do financiamento, você mantém o foco em seu negócio.

4. O custo real de cada evento é realizado, identificando corretamente a sua lucratividade.

5. Se sua clientela diminuir, você não fica com um ativo parado e nem parcelas de financiamento para pagar.

Em um cenário de mercado em crescimento, esta análise provavelmente seria diferente. O que quero sugerir é que com OPEX, sua empresa pode crescer e investir mesmo em momentos turbulentos, mas sem comprometer seu fluxo de caixa.


Fernando Angelieri é formado em Processamento de Dados pela FASP, com MBA em Gestão Estratégica de TI pela FIAP e em Administração pela FVG. Atuou em grandes empresas como Accenture e Microsoft e atualmente é um dos fundadores da TradingWorks, ferramenta na nuvem com foco na gestão de timesheet, atividades e projetos.


Leia também:
» 'Uberização' – uma saída para a crise?
» Ataque à causa, não ao efeito


CONTEÚDO RELACIONADO

Notícias e Atualidades

Você sabe o que é job rotation?

Notícias e Atualidades

Minha empresa está preparada para a revolução tecnológica?

Desenvolvimento

A Hora da Verdade: Reestruturação de Empresas

Desenvolvimento

Modelos de Negócios Sociais

O que você achou desta matéria?

O QUE A GENTE PODE FAZER PELA SUA EMPRESA, HOJE?

Para tornar nossos conteúdos cada vez mais atrativos, responda nossa pesquisa e nos conte quais temas são mais relevantes para o seu desenvolvimento

RESPONDER

JÁ RECEBE A NOSSA NEWSLETTER?

Para receber gratuitamente as notícias que interessam a quem tem negócios, insira um endereço de e-mail:

CADASTRAR